quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

LUSOTUR - REVISTA DE TURISMO, NEGÓCIOS E INVESTIMENTOS NO MUNDO LUSÓFONO, DESEJA A TODOS FELIZ ANO NOVO DE 2011


EM NOME DE TODA A EQUIPE DE COLABORADORTES 
DO NOSSO  "BLOGUE-REVISTA LUSOTUR" - REVISTA 
DE TURISMO, NEGÓCIOS E INVESTIMENTOS NO MUNDO 
LUSÓFONO, DESEJAMOS:

Feliz Ano Novo!
Votos pessoais de Saúde, 
Amor, e Prosperidade!

Que haja Paz, Justiça e Dignidade Humana 
para todos e um planeta mais amado e 
protegido nos seus desequilíbrios instáveis, 
na sua harmonia delicada, 
que a nossa "casa comum" - o planeta azul - 
seja protegido e amado em toda a sua biodiversidade, de todos os seres: animais, vegetais, minerais! e que o belo espaço 
sideral que nos rodeia seja protegido dos 
abusos humanos, 
para que a terra continue azul!

Com abraço amigo                     

Carlos Morais dos Santos
Consul "Poetas Del Mundo"
Editor/Administrador do blogue C.eA.L.
Lisboa-Portugal
Natal-Brasil            

Desiderata
Do Latim 'desideratu': aquilo que se deseja; aspiração.

O texto-poema que se segue é uma das versões traduzidas para português, do Poema Desiderata. Dizem uns, que foi encontrado na velha igreja de Saint Paul, Baltimore, datado de 1692, mas o poema é atribuído ao advogado e poeta norte-americano de Indiana, Max Ehrmann (1872 - 1945).
 

Siga tranquilamente entre a pressa e a inquietude, 
lembrando-se que há sempre paz no silêncio.

Tanto quanto possível, sem se humilhar, 
mantenha boas relações com todas as pessoas.
Fale a sua verdade, mansa e claramente, e ouça a dos outros, 
mesmo a dos insensatos e ignorantes, 
pois eles têm sua própria história. 

Evite as pessoas escandalosas e agressivas. 
Elas afligem o vosso espírito.
Se Você se comparar aos outros, 
Você se tornará presunçoso e magoado, 
pois sempre haverá alguém superior 
e alguém inferior a Você.

Você é filho do Universo, irmão das Estrelas e Árvores. 
Você merece estar aqui e, mesmo sem Você perceber,
a Terra e o Universo vão cumprindo seu destino.
Desfrute das suas realizações bem como dos seus planos.

Mantenha o interesse em sua carreira, ainda que humilde, 
pois ela é um ganho real na Fortuna cambiante do Tempo.
Tenha cautela nos negócios, pois o Mundo está cheio de astúcias. 
Mas não se torne um cético, porque a Virtude sempre existirá. 

Muita gente luta por altos ideais e, em toda a parte, 
a Vida está cheia de heroismo. Seja Você mesmo. 
Principalmente não simule a afeição. 
Não seja descrente do Amor, 
porque mesmo diante de tanta aridez e desencanto,
ele - o amor - é tão perene quanto a relva.
Aceite com carinho o conselho dos mais velhos 
e seja compreensivo com os arroubos inovadores da Juventude. 

Alimente a força do Espírito que o protegerá no infortúnio inesperado, 
mas não se desespere com perigos imaginários. 
Muitos temores nascem do cansaço e da solidão 
e, a despeito de uma disciplina rigorosa, 
seja gentil para consigo mesmo. 
Portanto, esteja em paz com Deus, 
como quer que Você o conceba.
Quaisquer que sejam seus trabalhos e aspirações,
na fatigante confusão da Vida,
mantenha-se em paz com sua própria alma. 
Apesar de todas as falsidades e desencantos, 
o Mundo ainda é bonito.
Seja prudente e faça tudo para ser feliz !

AGORA, FAÇA PAUSA NA JANELA DE MÚSICA AMBIENTE, 
DO BLOGUE, "CLICANDO" NO BOTÃO DO MEIO, DE MODO 
A PODER OUVIR E VER, COM O PRAZER DA CALMA ATENÇÃO,
OS VÍDEOS QUE VOS OFERECEMOS COM MUITO GOSTO. 







Motociclos portugueses chegam ao Brasil



A empresa AJP Motos, única fabricante de motociclos em Portugal, começou a comercializar a sua produção no Brasil e no princípio de 2011 prepara-se para fazer o mesmo no Japão, disse o diretor da empresa.

A marca está representada em 18 países, com a França a absorver 30 por cento da produção da empresa e a Espanha 15 por cento, mas para António Pinto, diretor da AJP, o Brasil tem potencial para se tornar o principal mercado externo das motos portuguesas.

«O primeiro contentor de motos que enviámos para lá foi vendido quase numa semana», revelou o empresário.

Por isso, «pela reação das pessoas e da própria imprensa especializada, acredito que daqui a pouco tempo o Brasil pode vir a ser o nosso principal mercado de exportação», acrescentou.

TV Bandeirantes mostra gastronomia portuguesa


O programa "Dia a Dia", da Rede Bandeirantes de Televisão, apresentado por Daniel Bork, de segunda a sexta, das 10h às 11h15, apresentou na quarta feira, 29, uma matéria especial conduzida pelo chef Julio Cruz sobre o melhor da gastronomia portuguesa, uma ceia de ano novo à portuguesa.

O local escolhido pela produção do programa foi o restaurante Rancho 53, localizado na rodovia Castelo Branco Km.53, na rodovia Castello Branco, Km 53 - próximo de São Paulo.

Os pratos terão como protagonista o Sr. Bacalhau, ao forno e à moda portuguesa. Não poderia ser diferente, já que o restaurante Rancho 53 é considerado um dos principais cardápios de bacalhau do Brasil, com 17 opções diárias.

A casa é comandada por João Carlos Ferreira, na cozinha está o chef cearense Zézinho e nos mais de 400 rótulos de vinhos,  uma das maiores adegas de vinhos portugueses do país, está o somelier Luciano Bressan.

"Misto de restaurante e empório de produtos portugueses, tem instalações, carta de vinhos e ementa acima da média para um "beira-de-estrada". Serve postas do bacalhau mais nobre (gadus morhua) em porções para duas pessoas", segundo nota do Guia Quatro Rodas 2010.

Brasileiros ocupam 93% do Hotel "Vip Executive Art's", em Lisboa, para a passagem do ano



"O mercado brasileiro ocupa 93% do hotel do Vip Excutive Art's para o fim-do-ano", disse Rui Fajardo, director-geral da unidade de 4-estrelas com 300 quartos, localizada no Parque das Nações, em Lisboa.

"Estamos praticamente por conta do mercado brasileiro", acrescentou o executivo que especificou que são "mais de 500 turistas"que fizeram "tranquilamente check-in no hotel".

Os três grupos de brasileiros são oriundos sobretudo de Natal e Salvador e entraram no início da semana para passarem o réveillon em Lisboa, espalhados por diversos eventos.

Rui Fajardo comentou ainda que "os brasileiros, que melhoraram consideravelmente o seu nível de vida, aproveitam a oportunidade para virem a Portugal nesta época".

A importância económica das comunidades portuguesas no exterior


O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, António Braga, concedeu importante entrevista ao site suisso swissinfo.ch, em que sublinha a relevância económica das comunidades portuguesas no exterior.

É dela que extraimos este trecho:

"O que podemos apurar, do ponto de vista estatístico, são as remessas feitas pelos portugueses para Portugal. Até junho de 2010, esse valor seria de mil milhões de euros. Isso significa 0,65% do PIB. Já foi mais no passado, quando esse valor rondou o 1,5% do PIB, o que é muito relevante. Estamos falando aqui de remessas líquidas.

Mas temos de levar em conta outros tipos de  valores que não são contabilizados em dinheiro. São negócios, parcerias na área de internacionalização da própria economia, acordos e parcerias com empresas nacionais, importação ou exportação, etc. O seu peso é sempre muito positivo, mas achamos que poderia ser muito mais.

De fato, essa diáspora tem uma dimensão e, sobretudo, uma diversificação planetária - ou seja, ela está presente em todas as partes do mundo. Por exemplo: identificamos 120 mil empresas no estrangeiro que são de propriedade, ou maioria de propriedade e capital de portugueses que estão no estrangeiro; delas, 20 mil são grandes empresas.

Esse é um potencial que Portugal nunca explorou - talvez por preconceito interno frente ao afastamento dos portugueses que estão lá fora - e que, em minha opinião, está  subaproveitado. Esse potencial da comunidade portuguesa no exterior pode e deve ajudar mais economia nacional.

Se essas pessoas insistem em continuar a crescer portugueses, elas estarão disponíveis - com programas apropriados - a poderem investir em Portugal. Isso não significa desinvestir dos projetos que têm lá fora, mas sim incluir Portugal na rota desses investimentos e dessas oportunidades para facilitar a internacionalização da própria economia e das empresas portuguesas.

Por esse preconceito ser real, nunca houve uma política pública dirigida para esse sector. Este governo criou um programa chamado Netinvest, que procura responder as questões que levantei agora. Com isso criamos uma espécie de via verde para favorecer o investimento em Portugal, informando sobre as facilidades, oportunidades e estímulos para ele. Criámos também condições para que empresas portuguesas possam conhecer as empresas desses outros portugueses que estão lá fora, e com isso, eventualmente, beneficiar-se de uma plataforma para chegar melhor a este ou aquele continente já tendo um interlocutor que fale a sua língua."

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Vila Galé Cumbuco - projecto turístico português desenvolve nordeste brasileiro

O resort Vila Galé Cumbuco é o primeiro numa zona que estava completamente arredada do circuito turístico no nordeste brasileiro

Por detrás do investimento directo de 40 milhões num resort de luxo, o grupo português crioou emprego e conseguiu o saneamento da freguesia

O resort Vila Galé Cumbuco é o primeiro numa zona que estava completamente arredada do circuito turístico no nordeste brasileiro

Muito antes da abertura do resort, inaugurado há pouco tempo, o grupo português Vila Galé já era a melhor coisa que alguma vez aconteceu a este vilarejo do município de Caucaia, no nordeste brasileiro. Quando estiver em velocidade de cruzeiro, a vila piscatória bem pode dar o nome do presidente do grupo, Jorge Rebelo de Almeida, a uma das suas ruas.

"Fizemos tudo para que a Vila Galé se implantasse em Caucaia", admite Washington e Góis, prefeito do município que conseguiu dar a volta a um projecto que parecia impossível. O grupo português esteve 3,5 anos à espera de autorização para construir, e só não desistiu porque acreditava no conceito: "Houve muito sofrimento", confessa Jorge Rebelo de Almeida.

E dinheiro. O grupo Vila Galé investiu directamente 40 milhões de euros no empreendimento, cuja principal novidade é o spa médico Satsanga (ver texto ao lado). Além disso, as ambições dos Rebelo de Almeida vão bem além do Vila Galé Cumbuco: a ideia é construir condomínios residenciais em volta e vender os terrenos restantes a duas ou três cadeias de resorts, que ajudem a elevar o Cumbuco a destino turístico e incentivem a criação de pacotes turísticos nas agências de viagens. Por outro lado, está previsto o desenvolvimento de um campo de golfe de nove buracos, que avança no final de 2011.

Para os 1346 habitantes da freguesia do Cumbuco, que vivem de chinelo no pé o ano todo, a Vila Galé foi uma espécie de Messias. "Conseguimos o saneamento do Cumbuco e a iluminação de praia por causa disso", confirma Washington de Góis, acrescentando que foi dada autorização para recuperar estradas velhas para dar acesso ao resort.

Só nestas intervenções serão gastos 52 milhões de reais (perto de 22 milhões de euros), um milhão (440 mil euros) dos quais na iluminação. "Isso vai gerar divisas e empregos, nós capacitamos os funcionários", diz ainda. O prefeito de Caucaia era um homem profundamente agradecido, que não escondeu a sua admiração por Rebelo de Almeida durante a badalada inauguração do resort.

Para garantir que o projecto ia para a frente, a Prefeitura deu vários incentivos fiscais ao grupo, incluindo a redução ou isenção de alguns impostos. Ainda assim, Jorge Rebelo de Almeida admite que o retorno será a longo prazo: dez a 12 anos.

Nos recursos humanos o impacto do projecto foi enorme: o Vila Galé dá emprego directo a 270 pessoas, todas naturais do Cumbuco ou de Fortaleza. "É uma obra audaciosa", atira Davi Perez de Sales, um auditor que começou a trabalhar com o grupo há menos de dois meses. Além dos empregos directos, o grupo deu formação a mais de 500 pessoas, por uma questão de absentismo: segundo explica Gonçalo Rebelo de Almeida, director de marketing do grupo, é raro o dia em que não faltem pessoas ao serviço. Por isso, é sempre preciso ter funcionários a mais.

O apelo do Cumbuco é sobretudo a sua geografia especial: a região é atravessada por dunas - óptimas para passeios vertiginosos de buggy, ventos fortes que são as delícias dos amantes de desportos náuticos, com o kitesurf à cabeça, e temperaturas que nunca baixam dos 25 graus o ano todo. Qualquer habitante da região confirma: não se compram casacos nesta zona, a não ser que sejam de ganga para proteger dos fortíssimos ares condicionados.
Leia no Ionline

Lisboa – a melhor cidade do mundo para realização de congressos

Lisboa - Parque das Nações

O resultado de um inquérito realizado pelo Observatório do Turismo de Lisboa a 909 congressistas estrangeiros, mostrou que a cidade de Lisboa foi considerada como a melhor cidade do Mundo para a realização de congressos e ainda um destino turístico recomendado por 100% dos participantes no mesmo Inquérito.

Lisboa somou 8,2, numa escala de 0 a 10, ficando assim à frente de cidades como Londres, Madrid, Paris, Milão, Nova Iorque, Munique, Barcelona, Roma, Amesterdão, São Paulo e Berlim. Os critérios mais valorizados pelos congressistas foram a qualidade dos equipamentos e a funcionalidade dos apoios no local dos congressos.

Mais de metade dos congressistas inquiridos (62,2%) já tinha estado em Lisboa. Quando questionados sobre qual a probabilidade de regressar a Lisboa, 99,2% considerou “provável ou muito provável” que isso aconteça.

Entre os inquiridos, na maioria espanhóis, ingleses, e franceses, a estada média em Portugal dois de 4,5 dias, com alojamento em hotéis de quatro e cinco estrelas, com uma despesa média de 1656 euros por participante.

Passageira da TAP para São Paulo é a 14 milhões no Aeroporto de Lisboa



Uma passageira do voo da TAP hoje de manhã de Lisboa para São Paulo, Brasil, vai ficar associada à primeira vez que o Aeroporto da Portela atingiu a marca dos 14 milhões de passageiros num ano.

Uma informação da ANA indica que se trata de Ana Paula Coretti, que fez o check-in para o voo da TAP para São Paulo cerca das 9h30.

A informação diz ainda que a passageira 14 milhões foi presenteada com “um conjunto de prémios” e que o “evento contou com as presenças do Presidente do Conselho de Administração da ANA, Eng. Guilhermino Rodrigues, e do Administrador da TAP, Luís Mor”.


“Este marco histórico vem confirmar as previsões feitas pela ANA, Aeroportos de Portugal relativamente ao crescimento do tráfego de passageiros e que justificam a aposta da Empresa no Plano de Expansão do Aeroporto de Lisboa”, sublinha o comunicado.

A rota de São Paulo é uma das que mais cresce no Aeroporto de Lisboa, tendo até Novembro mais cerca de 65,6 mil passageiros (+28,9%) que no ano passado.

De acordo com os dados do Aeroporto de Lisboa, até ao fim de Novembro viajaram 250,9 mil passageiros entre Lisboa e São Paulo, que é assim a segunda rota intercontinental com mais movimento, depois de Luanda, com 315,29 mil, e à frente do Rio de Janeiro, com 238,09 mil.

Alentejo, região do Sul de Portugal, rivaliza com Toscânia ou Provença - diz antiga embaixatriz do Brasil

Após viver em Nova Iorque, Lisboa e Madrid, devido à carreira diplomática do marido, a brasileira Christina Autran descobriu no Alentejo “o melhor de todos os mundos”. Compara-o à Provença ou à Toscânia, com vantagem para a região portuguesa.

 Uma paixão partilhada com o marido, Carlos Garcia, que foi diplomata em embaixadas do Brasil mundo fora, como a de Lisboa, e chegou a ser embaixador em Espanha.

Agora, com o marido já reformado, a antiga embaixatriz lançou no Brasil um livro sobre o Alentejo, região onde passam largas temporadas e têm casa, em Vimieiro (Arraiolos).

“Os brasileiros, quando vêm para cá, vão a Évora, almoçam muito bem, fazem aquele passeio e acabou. Mas tem tanta coisa mais para ser vista… E é isso que eu quis fazer, mostrar que tem mais”, assegura à agência Lusa.

E o que é esse “mais”? A também jornalista e escritora não hesita, quando é para falar sobre o seu “cantinho” português.


“A geografia, a paisagem, os frutos dessa paisagem, a comida deliciosa, os passeios incríveis, as cidades, as vilas, a arquitetura. Acho isto tudo encantador”, diz.

Sem a pretensão de guia, o livro é assumido como “um relato apaixonado e impressionista” da região. Com sotaque brasileiro, mas já com coração alentejano.

Na obra “O Meu Alentejo – Aventuras e dicas de uma brasileira no sul de Portugal”, da editora Record, Christina apresenta “sugestões de passeios e programas agradáveis” e “recomendações pessoais” de alojamento e restaurantes.

A autora recorda ainda como o casal trocou o “glitter (brilho) de Nova Iorque” por Portugal, no início dos anos 80, e o fascínio pela paisagem alentejana: “Adoro estas árvores impressionantes, retorcidas, com a maior personalidade. Um sobreiro descascado é uma imagem que a gente não esquece”.

O “romance” foi assumido mais tarde, em Espanha, quando descobriram o terreno certo e construíram a casa, de barras azuis e “pintada” de alecrim, oliveiras, laranjeiras e limoeiros.

Na Quinta da Boa Vista, batizada com o nome da casa onde se instalou a família real portuguesa ao mudar-se para o Rio de Janeiro, a jornalista evoca o “seu” Alentejo, o do livro, escrito quando abraçou a vida rural.

“No sentido geográfico, este é o ‘meu’ Alentejo, o das minhas redondezas”, conta, acrescentando que, o das emoções, é vasto como as planícies: “É este céu azul, uma lareira, as laranjeiras, a feira de Estremoz. É comer bem, é um porco preto, um bom azeite e um bom vinho”

Com o livro a “vender bem” no Brasil, e conversações para uma possível edição portuguesa, a escritora fica “feliz” por divulgar uma região que, apesar dos vinhos famosos, ainda é “pouco conhecida”.

Mas que, na hora de traçar destinos de viagem, pode rivalizar com a Provença francesa ou a Toscânia italiana, “lugares lindos, com todas as características que existem aqui” e que “têm um marketing extraordinário”.

“Todo o mundo vai para lá e adora. Porque não vir para cá também? Especialmente os brasileiros. Vão encontrar um estilo de vida semelhante e sem o problema da língua. Eu acho que é o melhor de todos os mundos”, garante.

Christina Autran é autora dos livros Sabores do Brasil — receitas da embaixada, prêmio especial do júri do Gourmand World Cookbook Awards 2006; Por que a mulher gosta de apanhar — e outras reportagens dos anos 1960 e 1970; A gula do poder e O poder da gula", em co-autoria; e do livro de poesias Na ponta do lápis.

Trabalhou no Jornal do Brasil, nas revistas Manchete, Veja e Diner's, na TV Globo, nos jornais O Estado de S. Paulo e Jornal de Brasília.

Christina Autran é autora dos livros Sabores do Brasil — receitas da embaixada, prêmio especial do júri do Gourmand World Cookbook Awards 2006; Por que a mulher gosta de apanhar — e outras reportagens dos anos 1960 e 1970; A gula do poder e O poder da gula", em co-autoria; e do livro de poesias Na ponta do lápis.

Trabalhou no Jornal do Brasil, nas revistas Manchete, Veja e Diner's, na TV Globo, nos jornais O Estado de S. Paulo e Jornal de Brasília.

Grupo português vai investir mais R$300 milhões em energia eólica no nordeste Brasileiro - Ceará e Rio Grande do Norte


O grupo português Martifer vai investir mais 300 milhões de reais na construção de novos quatro parques eólicos no nordeste do Brasil, uma operação que será feita em parceria com o Banco Santander Brasil, informou o presidente executivo do grupo.

Jorge Martins adiantou que os quatro parques terão uma potência instalada de 90,3 megawatts e, nos termos do contrato, terão de estar em funcionamento até Julho de 2012.

Jorge Martins acrescentou que a parceria anunciada ao mercado entre a Martifer Renováveis, empresa do grupo para as energias renováveis, e o Santander Brasil terá ainda de receber luz verde das autoridades brasileiras.

Dois parques ficarão situados no estado do Ceará e os restantes dois no estado do Rio Grande do Norte, aumentando significativamente a capacidade eólica instalada da Martifer no Brasil, que é actualmente de 14 megawatts.

Ongoing entra no grupo editorial Babel e reforça projectos para o Brasil


A  Ongoing comprou uma participação minoritária no grupo editorial Babel, que se tornará maioritária ao longo do próximo ano, disse o director de comunicação do grupo de telecomunicações.

Segundo Ricardo Santos Ferreira, o objectivo é o "reforço dos meios" para levar a cabo a estratégia da Babel, formalmente apresentada em Fevereiro deste ano por Paulo Teixeira Pinto, ex-presidente do Banco Comercial Português, e que integra nove chancelas: Ulisseia, Arcádia, Guimarães, Ática, Verbo, Athena, Centauro, K4 e Pi.

Essa estratégia esteve já na origem de uma parceria firmada entre Babel e Ongoing em Abril deste ano, prendendo-se com o desenvolvimento de projectos para o mercado dos países de língua portuguesa.

"Adquirimos uma participação minoritária, nesta altura, mas temos um acordo para reforçar essa participação até 66%, ficando com a maioria do capital. Mas os sócios fundadores continuam na empresa", indicou o responsável.

A integração no grupo Ongoing, de Nuno Vasconcellos, faz com que seja possível uma aposta mais forte no Brasil, apontou Ricardo Santos Ferreira, acrescentando que "a Babel está neste momento a preparar o investimento no Brasil, que será concretizado no próximo ano, em princípio em Fevereiro, um ano depois da criação formal da editora". 

Detentor de uma participação na Portugal Telecom e o maior accionista da empresa de tecnologia Mobbit, o grupo Ongoing é, no sector da comunicação social, líder do mercado de informação económica em Portugal, através do Diário Económico, tendo lançado no mercado brasileiro o jornal Brasil Económico e assinado um acordo para comprar o grupo editorial O Dia, o que tornará a sua participada EJESA no terceiro maior grupo da imprensa brasileira.

Portugal na mira de grandes empresas brasileiras


Durante muitos anos foram as empresas portuguesas que foram às compras ao Brasil. Agora a tendência mudou e as grandes empresas brasileiras estão a olhar para Portugal como a maneira mais fácil de entrarem na Europa mas também em África.

Na verdade as oportunidades são muitas. O Governo português já anunciou a sua intenção em privatizar, por exemplo, a TAP. Por essa razão a TAM – que é uma grande companhia aérea brasileira que se associou à Lan Chile, transformando essa aliança na maior companhia aérea da América do Sul – está atenta à privatização da TAP. Seria a forma mais rápida de entrar na Europa e em África fazendo um “megahub”, uma base de operações, em Lisboa.

Outras empresas estão atentas às oportunidades de negócios em Portugal. É o caso da Camargo Correa, que já é o maior accionista da CIMPOR; a Eike Batista, que quer investir na área da mineração e é propriedade do brasileiro que é o oitavo mais rico do mundo; a Petrobras, na área da energia, e a Andrade Gutierrez na área da construção e energia.

Brasil é mercado prioritário na exportação de vinhos portugueses


Situada no Alto Douro Vinhateiro, região de onde sai o conhecido vinho do Porto, a Quinta Nova produz actualmente cerca de 200 mil garrafas da bebida por ano - no entanto, tem capacidade para produzir três vezes mais. A diferença entre produção e potencial é um exemplo da expectativa de crescimento que as empresas vinícolas portuguesas esperam para os próximos anos com o aumento das exportações.

No ano passado, o sector português obteve uma receita de 259 milhões de euros com as vendas externas de vinho. No final de 2011, a estimativa é que chegue a 600 milhões de euros, um crescimento de 131,6% em apenas dois anos.

Na rota dos vinhos portugueses, o Brasil é responsável por apenas 14 milhões de euros (5,4%) do total de vendas, ocupando a nona colocação entre os principais destinos da bebida. Entretanto, Portugal tem reforçado as suas acções para promover o produto fora do país e o mercado brasileiro é prioritário.

Portugal é o terceiro destino do investimento brasileiro na Europa


Portugal é o terceiro destino dos investimentos brasileiros na Europa, atrás do Luxemburgo e da França.

De janeiro a novembro deste ano, as empresas brasileiras investiram em Portugal 959 milhões de dólares, 20 vezes mais do que em relação ao total investido em 2006.

No ranking geral, que incluiu todos os países, inclusive os paraísos fiscais, Portugal foi o quinto principal destino do investimento brasileiro no exterior.

"A crise económica tornou-se uma oportunidade de investimento para as empresas brasileiras, que estão a apostar cada vez mais nos mercados da Europa, enquanto os instáveis vizinhos sul-americanos perdem espaço", escreve o jornal Folha de São Paulo.

Os primeiros destinos europeus do investimento direto brasileiro receberam 16,9 por cento do total, percentual que se compara aos 3,7 por cento registados em 2006.

O investimento na França nos 11 primeiros meses deste ano ascendeu a 1,13 mil milhões de dólares.

Entre os países europeus que mais recebem investimento brasileiro, a Holanda ocupa a quarta posição, com um total de 774 milhões de dólares, no período em análise.

O ranking geral do destino dos investimentos brasileiros no estrangeiro é liderado pelas Ilhas Cayman, com oito mil milhões de dólares.

Em segundo lugar, no ranking global, aparecem os Estados Unidos, com 3,62 mil milhões de dólares, o que corresponde a um aumento superior a três vezes.

Cresce número de turistas brasileiros em Lisboa


O projeto "Lisboa Convida", desenvolvido o ano passado pelo Turismo de Lisboa, no Brasil, ganhou na categoria de Relações Públicas Internacionais na 30ª edição do Prémio Nacional de Opinião Pública do Conselho Regional de Profissionais de Relações Públicas do Brasil.

A iniciativa visa divulgar Lisboa,  "uma cidade com imagem forte, onde se fala a mesma lingua do Brasil e é uma formidável porta de entrada para a Europa" - disse a diretora-executiva do Turismo de Lisboa, Paula Oliveira.

Paula Oliveira manifestou a sua satisfação pela distinção pois o mercado brasileiro está sendo trabalhado mais profundamente desde 2009. O orçamento é de meio milhão de euros para o investimento da iniciativa "Lisboa Convida" para o Brasil, sendo este mercado extraordinariamente importante para a capital portuguesa.

Lisboa tem um share acima dos 60 por cento, no quadro das dormidas de brasileiros no país, está com um crescimento acima dos 50 por cento face ao ano passado, o que faz do Brasil, neste momento, o segundo mercado, logo depois da Espanha.

Brasil entre as prioridades do turismo português


O Ministro do Turismo de Portugal, Bernardo Trindade, lançou em outubro a Campanha de Imagem de Portugal no Brasil

O turismo português deve apostar em novos mercados para se promover. O Barómetro Academia do Turismo procurou perceber junto dos especialistas as possíveis soluções que melhor podem responder às necessidades do turismo nacional e 73% consideram que a aposta da promoção externa do turismo português deve centrar-se em novos mercados, estando  o Brasil  e a China no topo da lista de preferências, seguidos da Europa de Leste e da Rússia.

A confiança no desempenho do sector do turismo subiu este trimestre, atingindo o valor mais elevado deste ano. Os dados da 34ª edição do Barómetro Academia do Turismo revelam que 63,4% dos especialistas no sector do turismo confia no desempenho do sector. O crescimento é notório face aos dados de Setembro e Maio (57,7% e 55,7% respectivamente), sendo ligeiramente superior face aos dados do primeiro trimestre do ano de 2010: 63,3%.

Ao nível das receitas turísticas, as perspectivas dos profissionais do sector para a evolução do turismo nacional em 2011 não são as melhores. Para 54,2% as receitas vão baixar. Já em relação ao número de dormidas em hotéis, 41,7% consideram que vão aumentar no próximo ano. Quanto ao número de turistas que se prevê visitar o território nacional, assim como o gasto médio que estes possam fazer em Portugal, os inquiridos pensam que se vai manter a mesma tendência registada em 2010.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

LUSOTUR - REVISTA DE TURISMO, NEGÓCIOS E INVESTIMENTOS NO MUNDO LUSÓFONO, DESEJA FELIZ NATAL DE 2010















SEJA PERMITIDO QUE, NA QUALIDADE DE EDITOR-ADMINISTRADOR DESTE  BLOGUE - REVISTA LUSOTUR DE TURISMO, NEGÓCIOS E INVESTIMENTOS NO MUNDO LUSÓFONO",  ENDERECE  AQUI AOS MUITOS AMIGOS LEITORES E VISITANTES, DE VÁRIOS PAÍSES,  OS MELHORES VOTOS DE FELIZ NATALDE 2010, EM PAZ E COM SAÚDE, NO SEIO CALOROSO DAS FAMÍLIAS, COMUNGANDO O AMOR E A UNIÃO, EM HARMONIA, E ELEVANDO OS NOSSOS PENSAMENTOS E AÇÕES A FAVOR DE TODOS OS NOSSOS SEMELHANTES QUE SOFREM. 
FAÇAMOS COM QUE HAJA NATAL EM TODOS OS DIAS 
DO NOVO ANO QUE SE APROXIMA.


A TODOS DEDICO ESTES MEUS DOIS POEMAS SOBRE O NATAL

NATAL FRIO, NATAL QUENTE
Seja o Natal frio, ou o Natal quente
Seja frio de carências, ou quente de amor
Porquê não se constrói entre toda a gente
Um Natal diário de solidariedade multicolor

Um Natal-Amor, sejam quais forem as raças
Uma fraternidade entre credos e as religiões
Cãnticos de solidariedade em todas as praças
Com músicas de festa com a paz  nos corações

Com a humanidade a abraçar-se num só abraço
Em Cadeia de União, Jovens, velhos e crianças
Erguendo glorificador Monumento de eterno aço
À humanidade fraterna e suas verdes esperanças

À grande crença que há  na fraternidade
À certeza de que é em tudo o que se faz
Todos os dias, um Natal-Amor de igualdade
Que se constroi a justiça, a harmonia e a paz

Não na igualdade do diverso que é cada SER individual
Mas em tudo porque devemos SER unos e fraternais
Pelos homens, por todos os  bichos e o mundo vegetal
Amar, amar tudo e até as estrelas e o mundo sideral

Porque todos somos diferentes mas devemos ser iguais !

*******************

NATAL SEMPRE

Natal, Novo Ano, Renovação
Vibram corações, iluminam-se de bondade !
Alimento de poucos dias, escasso pão
… e tanta a fome de Paz,
Amor e Solidariedade

Que aquela boa estrela de grande esperança
Que há mais de dois mil anos nos iluminou
Se reveja todos os dias no sorriso dessa criança
Que em todos nós existe,
E é tão triste, se já murchou

Igualdade, Amor e Fraternidade
Foi aquilo que Jesus nos ensinou
E é só isso, para todos, em Liberdade
Que como Lei da Terra, sagrada,
Ainda não se votou !

Votemos na construção do Templo da Fraternidade
Que nesta Nave-Terra temos de construir
Votemos na União Universal da Humanidade
Para que nesta templária viagem haja porvir !



Carlos Morais dos Santos
Cônsul Poetas Del Mundo
Natal,RN – Deze.2010

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Investimentos portugueses no Brasil triplicam


Volume de investimentos atingiu os 836 milhões de euros. Portugal é o sétimo país que mais investe no Brasil.

Segundo dados do banco central brasileiro, entre Janeiro e Novembro, os investimentos portugueses no Brasil triplicaram face ao mesmo período de 2009, atingindo o valor de 836 milhões de euros (1110 milhões de dólares).

Portugal é responsável por três por cento dos investimentos directos provenientes do estrangeiro.

A projecção do banco é de que o ano no Brasil feche com um total de 28,9 mil milhões de euros (38 mil milhões de dólares) de investimentos estrangeiros, o equivalente a 1,87 por cento do Produto Interno Bruto do país.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Voo charter entre Portugal e o Maranhão


Está confirmado para o final deste mês o voo charter entre Portugal e o Maranhão, com roteiros diretos de Lisboa a São Luís pela companhia aérea portuguesa Euroatlantic. Os voos, em aviões Boeing B767 da EuroAtlantic, com 20 lugares em classe executiva e 254 em classe turística, devem sair de Lisboa na manhã do dia 26 de dezembro e regressar no dia 2 de Janeiro de 2011.

De acordo com o administrador da operadora, Eduardo Pinto Lopes, o marketing utilizado pela operadora recorreu, além das belezas naturais do estado, às festas de fim de ano do Nordeste.

A confirmação dos voos deixou o trade local com perspectivas de bons negócios,  porque a vinda de turistas europeus para o Maranhão ajuda na divulgação do estado em vários países do continente europeu. "Estamos avançando na promoção do Maranhão. Tenho a certeza que a partir do voo charter o Maranhão deve receber mais turistas vindos da Europa o que vai aquecer a nossa economia", disse o presidente da Abav/MA, Guilherme Marques.

Exportações de Vinho do Porto para o Brasil em máximos desde 2005


As exportações de Vinho do Porto para o Brasil aumentaram 43 por cento até Outubro, para os níveis mais altos desde 2005, somando 4,47 milhões de euros, anunciou o Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP).

Em comunicado, o IVDP destaca que se trata de «uma evolução bem acima da subida geral do valor das vendas de Vinho do Porto», que foi de 6,2 por cento.

Em Portugal, esta evolução não foi além dos 6,5 por cento, para 37,5 milhões de euros.

Actualmente, o Brasil ocupa a 10.ª posição entre os principais países consumidores de Vinho do Porto, com uma quota de 1,6 por cento.

A França ocupa a liderança, com 24,4 por cento do valor total, seguida de Portugal (13,3 por cento), da Holanda e da Bélgica (com 10,9 por cento cada), do Reino Unido (10,6 por cento), EUA (7,2 por cento), Canadá (4,9 por cento), Alemanha (3,7 por cento) e Dinamarca (3,2 por cento).

Entre os 25 principais mercados para o Vinho do Porto, os que registam maior crescimento de vendas este ano são a Rússia (mais 105 por cento), seguida da Dinamarca (98 por cento) e da Nova Zelândia (80 por cento).

Empresa Portuguesa VIV instala fábrica de painéis solares no Brasil


Depois de ter criado, a partir de Viana do Castelo, a primeira central de compras de energias renováveis do país, a empresa portuguesa VIV Energia Renovável prepara-se para iniciar a internacionalização com a instalação, no Brasil, da primeira fábrica de painéis solares térmicos, painéis fotovoltaicos e iluminação pública com módulos fotovoltaicos.

Com esta aposta, nasce a ViV Brazil que espera ter a funcionar, na Bahia, durante o primeiro semestre de 2011, a primeira linha de montagem de painéis fotovoltaicos luso-brasileiros. Sem avançar o montante do investimento a realizar no Brasil, a empresa espera ver o projecto arrancar já no início do próximo ano, com a abertura de um escritório, em Lauro de Freitas, município do Estado de S. Salvador da Bahia.

Numa primeira fase, os objectivos passam pela comercialização de painéis para instalação em edifícios comerciais e residências, aproveitando as oportunidades de um segmento ainda com muito potencial naquele país.

Para os responsáveis pela ViV Brazil, esta é “uma aposta de futuro já que o país irmão abre portas a áreas de negócio interessantes”.

Numa segunda fase, para além dos painéis, a VIV pretende lançar no mercado outros produtos, por exemplo, postes de iluminação pública com módulos fotovoltaicos para abastecer lâmpadas LED, sistemas completos para aquecimento de água com a energia do sol e também bombas de sucção de água alimentadas pelos painéis.

Os investidores portugueses tencionam ainda realizar parcerias com universidades locais para formação de mão-de-obra especializada para a futura fábrica e para o desenvolvimento de novos projectos e tecnologias.

O novo projecto, segundo a empresa de Viana do Castelo, irá permitir “novas oportunidades de negócio a outros investidores, uma vez que irão nascer empresas-satélite para fornecimento de produtos e serviços para a fábrica da VIV Brazil.

A petrolífera portuguesa GALP, anuncia que novo poço confirma potencial no Tupi


A petrolífera portuguesa Galp comunicou hoje confirmar-se o potencia de até 8 mil milhões de barris no poço do Tupi.

«O consórcio formado pela Galp Energia, pela Petrobras e pela BG Group para a exploração do bloco BM‐S‐11, em águas ultra profundas da Bacia de Santos, comunica que a perfuração de mais um poço na área de Tupi/Iracema confirmou o potencial de petróleo leve nos reservatórios do pré‐sal, em águas ultra‐profundas da Bacia de Santos.

O novo poço, informalmente conhecido como Tupi W, foi perfurado em profundidade de água de 2.139 metros, a cerca de 275 km da costa do estado do Rio de Janeiro e a 11 km a noroeste do poço descobridor da acumulação de Tupi», lê-se no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários de Portugal (CMVM).

A espessura de reservatório de cerca de 90 metros vem reforçar «as estimativas de volume de hidrocarbonetos para a área de Tupi/Iracema».

E, com a informações obtidas neste e noutros poços já perfurados naquela área, a Galp vem assim confirmar as estimativas do «potencial de 5 a 8 mil milhões de barris de petróleo leve e gás natural recuperável nos reservatórios do pré‐sal da área de Tupi».

A produtividade destes reservatórios será avaliada através da realização de testes de formação agendados para os próximos meses.

«O Consórcio dará continuidade às actividades e aos investimentos previstos no Plano de Avaliação aprovado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, até à divulgação da Declaração de Comercialidade no final de 2010», revela ainda o mesmo comunicado.

TAP abre nova loja no Aeroporto de Congonhas em São Paulo

Desde o inicio do mês de Dezembro os clientes da TAP têm à disposição uma nova loja  da companhia aérea portuguesa instalada no piso inferior da área de desembarque (chegadas domésticas) do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

Na loja, os clientes podem adquirir passagens para  44 destinos europeus e 11 africanos, alterar reservas, obter informações sobre a companhia e ainda obter apoio sobre o transporte de autocarro que liga São Paulo ao Aeroporto Viracopos, em Campinas.

Mais informações sobre  voos, horários e tarifas  pelo telefone 0300 210.6060 ou pelo site http://www.flytap.com/

Estudo para incentivar exportações portuguesas para o Brasil


O Conselho das Câmaras Portuguesas no Brasil promoveu estudo que visa incentivar as exportações portuguesas para o Brasil. O estudo foi realizado pela Câmara Portuguesa de Comércio de São Paulo (CPC-SP) com apoio da Cisa Trade. A pesquisa mostra, de forma destacada, a integração da economia bilateral e defende que Portugal poderia aumentar suas exportações para o Brasil.

O estudo encontrou 205 produtos nos quais Portugal possui alto potencial exportador e cuja demanda de importações brasileiras é significativa. De acordo com Rômulo Alexandre, presidente do Conselho das Câmaras Portuguesas de Comércio no Brasil (CCPCB), o estudo mostra ainda que o potencial português vai muito além dos produtos. “A pesquisa mostra detalhes do comércio brasileiro de importação, como valores de impostos, vantagens logísticas, barreiras tarifárias e não tarifárias e nomes de empresas que fornecem os produtos a nação”.

A pesquisa encontrou um dado importante: as exportações portuguesas para o Brasil poderiam aumentar em até 340% (caso os 205 itens entrassem nesse relacionamento bilateral). E mais: “um grupo significativo de produtos poderiam obter ganhos superiores a UR$ 1 milhão a cada ano”, destaca Rômulo. “O maior problema na comercialização está no fator logístico”, explica o presidente do CCPCB. “O produto exportado passa por vários portos para chegar ao local de desembarque, mas se houvesse uma política direta de comercialização, todos os países sairiam beneficiados”, conclui Rômulo.

Trabalho realizado pela Funcex – Fundação Centro de Estudo do Comércio Exterior, a pesquisa será publicada e apresentada às Câmaras de Comercio do Brasil e de Portugal.

Grupo brasileiro Camargo Corrêa Cimentos inaugura escritório em Portugal



A Camargo Corrêa Cimentos inaugura hoje os seus escritórios na Av. da Liberdade em Lisboa.

A Camargo Corrêa Cimentos faz parte do grupo Camargo Corrêa, um dos principais accionistas da Cimpor, que tem como foco negócios de atuação em infra-estruturas através das áreas de engenharia e construção, cimentos e concessões de transporte e energia. Possui também investimentos nos sectores de calçado, incorporação imobiliária, meio ambiente, siderurgia e indústria naval.

O grupo está presente em 18 países e conta com mais de 60 mil colaboradores. E encara a sua presença em Portugal como um compromisso estratégico de longo prazo em relação à sua participação na Cimpor, e também em relação aos mercados europeu, africano e brasileiro, onde acredita ser possível capitalizar sinergias crescentes e explorar novas oportunidades de negócio, refere em comunicado.

Para a inauguração dos escritórios da Camargo Corrêa Cimentos, deslocaram-se hoje a Portugal accionistas do grupo Camargo Corrêa, bem como o seu presidente, Vitor Hallack, e o presidente do conselho de administração da Camargo Corrêa Cimentos, José Édison Barros Franco, entre outros altos quadros.

A Cimpor teve este ano alterações accionistas, designadamente com a entrada dos grupos brasileiros Camargo Corrêa (com uma participação de 32,6%) e Votorantim (que sozinha passou a deter cerca de 21,2% da cimenteira, mas que com a CGD passou a titular de 30,08%) no capital da empresa.

Odebretch quer participar no comboio de alta velocidade português

A  emporesa brasileira Odebretch vendeu para a Ascendi, por 126 milhões de euros, as participações que detinha em quatro auto-estradas lusas, pois pretende  voltar-se para os projetos que estão em desenvolvimento em Portugal, como as ligações ferroviárias de alta velocidade, designadamente a plataforma logística do Poceirão e a concessão do Baixo Tejo. 
 
Um comboio (trem em português do Brasil), de alta velocidade (ou trem-bala), é um transporte público que circula em caminhos de ferro excedendo os 200 Km/hora. 

Tipicamente, os comboios de alta velocidade viajam a velocidades de cruzeiro entre os 250 km/h e os 300 km/h. A marca mundial de velocidade para um comboio convencional com rodas foi estabelecida em 2007 por um TGV francês que atingiu a velocidade de 574,8 km/h.

O comboio protótipo japonês de levitação magnética (maglev) JR-Maglev MLX01 estabeleceu o recorde de velocidade de um comboio ao atingir os 582 km/h.

No dia 3 de Abril de 2007 foi batido oficialmente o anterior recorde de comboios convencionais de alta velocidade ao ser atingida a velocidade de 574,8 km/h. Este teste, feito na nova linha Paris - Estrasburgo,  teve o nome de código V150 aludindo aos 150 metros/segundo de velocidade que se pretendia atingir (correspondente a 540 km/h)
 
Os comboios Japoneses Shinkansen  foram os precursores dos comboios de alta velocidade. Na imagem um Shinkansen da West Japan  Raylway em Quioto.

O comboio franco-belga-germano-neerlandês Thalys na estação da Gare du Nord em Paris.

Petrobras quer produzir biodiesel em Portugal com a Galp



A Petrobras está a intensificar os estudos para a construção de unidades de produção de "diesel verde" a partir do óleo de palma, o dendê, afirmou o director do sector do etanol da empresa em balanço feito hoje.

"Estamos a intensificar os estudos para a construção de unidades de produção do biodiesel ou diesel verde, um produto com qualidades superiores ao diesel mineral", declarou Ricardo Castello Branco, director de etanol da área dos biocombustíveis da Petrobras.

"A fábrica será instalada numa das refinarias da Galp, em Portugal, e o detalhe (pormenores) do projecto ainda está em estudo, mas será construído de forma coerente com o prazo do óleo que estamos a começar a plantar", salientou Castello Branco.

Os projectos de produção de biodiesel a partir do óleo de palma prevêem a construção de uma fábrica própria no Estado do Pará, na região Norte do Brasil, com início de operação em Julho de 2013, e também Portugal em parceria com a Galp Energia, o denominado Projecto Belém.

Em Lisboa, foi assinado este ano um acordo entre as duas petrolíferas para produção de biocombustíveis em Portugal, na refinaria de Sines, com capacidade de produção para cerca de 260 mil toneladas de biodiesel por ano.

A estratégia de suprimento da unidade de biodiesel em Portugal prevê a implantação de um pólo agroindustrial no Brasil de cultivo da palma com uma produção estimada de 300 mil toneladas por ano. Os investimentos somam 290 milhões de dólares no Brasil.

O investimento total estimado para o projecto é de 530 milhões de dólares, a ser realizado em partes iguais pelas empresas.

Câmara Portuguesa do Paraná promove reunião para apresentar o Sisab 2011


A Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil- Paraná, presidida por José Brandão Coelho, promoveu, no passado dia 16 de Dezembro, uma reunião aberta a todos os profissionais do comércio alimentar interessados em participar do Sisab 2011, que contece em Lisboa, de 21 a 23 de fevereiro de 2011.

A reunião ocorreu na Federação do Comércio do Paraná (Rua Visconde do Rio Branco 931 - 6° andar).

O Sisab 2011 ocupará o Pavilhão Atlântico do Parque das Nações, em Lisboa. Segundo informou José Brandão Coelho, trata-se da maior exposição com oferta de produtos alimentares portugueses destinados à exportação.

Turismo: Brasileiros muito satisfeitos com Portugal


Sondagem divulgada pelo Turismo de Portugal mostra que o brasileiro está entre os turistas mais satisfeitos com o destino. O nível de satisfação global com as férias em Portugal é muito elevado: 91% de muito satisfeitos, sendo que 44% afirmam que as férias ficaram acima das expectativas. Entre os turistas que assinalaram estar muito satisfeitos, destacam-se os brasileiros (67%), seguidos dos ingleses (58%) e irlandeses (57%).

A recomendação de conhecidos/amigos/familiares é determinante na consideração de Portugal como destino de férias (41%), sobretudo para os irlandeses e para os brasileiros (72%). A Internet surge como o 2º aspecto mais influenciador, citada por cerca de 1/3 dos entrevistados.

A decisão final foi condicionada, na maioria dos casos, pelo clima e paisagem (56%), sobretudo para os turistas dos países nórdicos (alemães, holandeses e irlandeses). O preço da viagem e a proximidade do país foram especialmente motivadores para os espanhóis.

Portugal tem saldo comercial favorável com o Brasil, em Novembro


Portugal conseguiu em novembro, pela primeira vez este ano, um saldo comercial positivo nas suas trocas com o Brasil, alcançando um superávit de US$ 3,2 milhões, segundo as estatísticas do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Novembro foi também o mês deste ano em que Portugal mais exportou para o Brasil.

No mês passado, as empresas portuguesas faturaram US$ 66,86 milhões nas vendas para o mercado brasileiro, valor que se situa 17,6% acima do registro de outubro, embora fique abaixo dos US$ 71,3 milhões exportados em novembro de 2009, que havia sido também o melhor mês do ano passado.

Já o Brasil teve em novembro último exportações para Portugal de US$ 63,6 milhões, cifra que está 63,8% abaixo da de outubro, mas acima dos US$ 45 milhões de novembro do ano passado. Foi o segundo pior volume de exportações brasileiras para Portugal este ano, apenas superado pelos US$ 51,9 milhões obtidos em janeiro.

Em 2009, apenas num mês o Brasil teve uma balança negativa nas trocas comerciais com Portugal e foi precisamente em novembro, com um déficit de US$ 26,3 milhões.

Mas no acumulado de 2010 as contas continuam amplamente favoráveis à economia brasileira, que nos onze meses até novembro regista um saldo positivo de US$ 738,9 milhões, em resultado de ter exportado US$ 1,26 bilhão e importado US$ 521 milhões.

O Brasil está a apenas US$ 17 milhões de ultrapassar o total de exportações para Portugal alcançado em 2009 (US$ 1,276 bilhão), mas continua longe dos volumes de 2008 (US$ 1,7 bilhões) e de 2007 (US$ 1,8 bilhões, recorde histórico).

Já Portugal, com os US$ 521 milhões exportados para o Brasil até novembro, conseguiu superar os US$ 434,6 milhões do total de 2009, mas ainda está aquém do recorde de US$ 598,7 milhões do ano 2008. Para 2010 voltar a ser um ano recorde para as exportações lusas para o Brasil será necessário o mês de dezembro somar pelo menos US$ 78 milhões.

O produto que Portugal mais exportou para o Brasil nos primeiros onze meses deste ano foi o azeite (representou mais de 23% do total), seguido do bacalhau (com participação superior a 10% na pauta), estando ainda no topo da lista o vinho, os sulfetos de minério de cobre e as peras frescas.

O Brasil, por seu turno, assentou as exportações para Portugal essencialmente no petróleo (mais de 28% do total) e grãos de soja (mais de 22%), com participações relevantes também do açúcar de cana (7%) e do milho (5%).

"Brasil será um dos mercados mais estimulantes para o negócio no futuro"


Antigo vice-presidente da Economist Intelligence Unit, Nenad Pacek destaca o crescimento brasileiro mas sublinha que as empresas têm de melhorar factores como o marketing e vendas:

"Penso que o Brasil será um dos mercados mais estimulantes para o negócio mundial no futuro. O país está já a desenvolver-se muito bem economicamente. Mas as empresas deverão esperar um aumento rápido da concorrência enquanto comercialmente a mesma apertará e será mais dura do que nunca. É necessário às empresas melhorar a excelência do seu marketing e vendas, bem como reforçar a presença local para garantir o negócio no Brasil a curto, médio prazo."

sábado, 11 de dezembro de 2010

Lisboa capital europeia das profissões

Foto de Carlos M. Santos


Durante três dias, Lisboa acolhe o Euroskills 2010, o campeonato europeu das profissões. No evento, que visa promover a formação profissional junto dos mais jovens, são esperados 100 mil visitantes.

A competição começou, estamos no Euroskills 2010, em Lisboa, ou seja no Campeonato Europeu das Profissões onde perto de 500 profissionais dos 27 Estados-membros da União Europeia e de mais 14 países como a Turquia, Tailândia, Japão ou o Brasil competem em 64 diferentes profissões.

Na sessão de abertura do Euroskills, Maria Helena André, Ministra do Trabalho e da Solidariedade Social, destacou a importância do evento para a promoção da formação profissional junto dos mais jovens.

«Eu penso que este campeonato e a possibilidade de termos muitos jovens portugueses a virem ver directamente como é que estas profissões envolvem, pode ter o efeito de atracção dos jovens portugueses para a formação profissional e para as profissões manuais, técnicas e também de alta tecnologia. Por isso eu acho que esta é uma iniciativa importante e estamos muito contentes que ela se passe em Portugal porque entendemos que vai trazer muitos jovens a este certame e vai abrir-lhes o apetite em relação a muitas profissões», disse a Ministra.

Durante três dias a competição vai cobrir seis grandes áreas profissionais: Artes Criativas e Moda; Produção, Engenharia e Tecnologia; Tecnologias da Informação e Comunicação; Transportes e Logística; Construção Civil e Obras Públicas.

O Euroskills não pretende ser apenas uma competição sobre as melhores práticas e técnicas em cada uma das profissões, mas uma mostra de competências, de especificidades criativas, de saberes profissionais, um espaço vivo que possa despertar nos jovens as escolhas da carreira futura.
 
Durante três dias espera-se que mais de 100 mil jovens e professores percorram os quatro pavilhões da FIL, em Lisboa, e que para além de poderem assistir às actividades dos concorrentes, possam também experimentar e executar algumas actividades.

Também no âmbito do Euroskills, a Agência Ciência Viva em colaboração com doze Instituições científicas organiza uma das maiores demonstrações das actividades dos investigadores.

Aqui, os jovens podem colocar directamente questões aos cientistas sobre as mais variadas áreas do conhecimento, incluindo sobre a profissão de cientista.

Perguntas e respostas que a Agencia Ciência Viva levará também a todo o pais, através do seu canal on-line Ciência Viva TV.